Hipotireoidismo na gravidez

Hipotireoidismo na gravidez: diagnóstico e tratamento

Em qualquer pessoa o Hipotireoidismo é um distúrbio que pode incomodar bastante o cotidiano do indivíduo. Mas o Hipotireoidismo na gravidez é pior, porque afeta a mãe e, principalmente, o bebê. Felizmente, o tratamento é simples e eficaz.

Porém, o risco de maiores complicações está claramente relacionado à falta de atendimento médico e diagnóstico preciso. Então a doença pode trazer consequências dramáticas para a gravidez, dentre elas, a possibilidade de aborto espontâneo.

Por esta razão, a dosagem no sangue de TSH e T4 livre devem fazer parte do pré-natal. Uma vez que o diagnóstico é condição imprescindível para o sucesso da gestação e para o desenvolvimento normal do bebê. Mesmo que a grávida ainda não tenha sintomas, deve ser tratada e acompanhada pelo seu médico. 

O tratamento é a reposição do hormônio da tireoide, o qual deve ter início tão logo haja o diagnóstico. 

Papel dos hormônios da tireoide e sintomas 

A tireoide produz os hormônios T3 e T4. Particularmente o T3 regula o metabolismo e a manutenção de diversas funções do corpo. Por sua vez, ela é regulada por outra glândula, localizada no cérebro, a pituitária.  

Quando a produção dos seus hormônios está abaixo do normal, está instalado o Hipotireoidismo. Consequentemente aparecem os sintomas, como cansaço sistemático, ganho de peso sem mudanças na alimentação, sensação de frio, dores e fraqueza nas articulações e nos músculos, queda de cabelo, pele ressecada, depressão, problemas de concentração e memória, constipação, dentre outros, em curto espaço de tempo. 

Riscos do hipotireoidismo na gravidez 

Logo, todos esses sintomas são decorrentes do mau funcionamento dos diversos sistemas do organismo. Mas, quando ocorre o hipotireoidismo na gravidez, a situação fica mais grave. A razão é porque o embrião não é capaz de produzir os hormônios T3 e T4. Entretanto, eles são essenciais para o desenvolvimento dos órgãos do bebê, que ocorre nas primeiras 12 semanas da gestação.

Como consequência, além do risco de aborto espontâneo ou parto prematuro, o bebê pode nascer com problemas cardíacos e peso muito abaixo do normal. Também pode ocorrer baixo coeficiente de inteligência, além de desenvolvimento mental insuficiente. 

Além disso, a mãe também está exposta a riscos. Um ou outro desses sintomas podem ocorrer: anemia, hemorragia após o parto, placenta prévia e hipertensão causada pela pré-eclâmpsia. O mais importante é saber que todos são evitados com o tratamento do hipotireoidismo na gravidez.  

É comum, também, o hipotireoidismo surgir após o parto. Em consequência de alterações no sistema imunológico da mãe, que passa a atacar as células da tireoide. É um quadro que pode se estabelecer preferencialmente no terceiro ou no quarto mês após o parto.

Mas tende a regredir já nos primeiros meses subsequentes ao parto. Sobretudo se estiver com acompanhamento médico. 

Então cuide da sua tireoide, mesmo que ainda não tenha sintomas. Afinal você quer viver uma gravidez feliz.  

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista em Manaus!

Comentários
Dra. Aidalina

Posted by Dra. Aidalina