Nanismo

Nanismo: sintomas, causas e tratamentos

O nanismo é uma doença de origem genética, que faz com que os indivíduos que possuem esse problema tenham um crescimento esquelético diferente do normal, resultando em uma estatura corporal muito menor em relação às demais pessoas de sua idade, tendo, em média, 20% a menos de altura.

É possível distinguir o nanismo em dois tipos diferentes: proporcional, aquele no qual o indivíduo tem um crescimento menor e todos os órgãos dele se mantêm proporcionais à estatura, e o desproporcional, no qual alguns órgãos possuem um tamanho muito maior em relação à estatura.

Sintomas do nanismo

As pessoas portadoras do tipo proporcional apresentam especialmente o sintoma da baixa estatura, mas também podem apresentar um atraso no desenvolvimento sexual, sendo esse um dos poucos sintomas desse tipo da doença.

Já o tipo desproporcional apresenta um número maior de sintomas, além da baixa estatura, apresentam, por exemplo, pernas e braços curtos com relação ao tronco, macrocefalia, dedos mais curtos e grossos, pernas arqueadas e desalinhamento dos dentes.

No entanto, esses sinais não necessariamente são apresentados em conjunto, podendo apenas parte deles se manifestar em pessoas com o tipo desproporcional. Além disso, os sintomas podem possuir diferentes níveis, com alguns se manifestando de forma mais intensa que os demais.

Causas do nanismo

A principal causa está ligada a problemas genéticos, relacionados ou não à hereditariedade, fazendo, assim, com que pessoas com casos na família tenham uma maior chance de apresentar o nanismo.

Outra causa possível é a insuficiência hormonal, especificamente com relação ao hormônio do crescimento, o que faz com que o desenvolvimento esquelético seja interrompido. Deformidades no esqueleto que comprometam o crescimento também podem acarretar nessa condição de baixa estatura. Outra situação que pode levar ao nanismo é o hipotireoidismo congênito.  

De forma geral, as deficiências de hormônio do crescimento (GH) e hormônios da tireoide (T4 e T3) são responsáveis pelos casos de nanismo do tipo proporcional. Em contrapartida, os do tipo desproporcional são causados pelos problemas genéticos, que causam uma deformação no crescimento e no desenvolvimento do corpo. 

Tratamentos para o nanismo

Os principais tratamentos para esse quadro são possíveis nos casos em que o problema é detectado ainda antes do nascimento, durante os exames pré-natais. Quando há esse diagnóstico prévio, é possível que sejam realizados tratamentos hormonais que contribuem positivamente no desenvolvimento e no crescimento dos ossos, minimizando, assim os efeitos da doença.

Porém, a maioria dos casos pode ser percebida apenas durante a infância, não havendo, assim, um tratamento específico, sendo indicado o acompanhamento médico, para que se possa prevenir problemas posteriores decorrentes do quadro em questão.

Esse acompanhamento é de grande importância, uma vez que o nanismo pode comprometer até mesmo a expectativa de vida de seus portadores, especialmente nos casos de tipo desproporcional, em que pode ocorrer a compressão dos órgãos pela estrutura óssea.

No caso de deficiência de hormônio do crescimento ou de hormônios da tireoide, o tratamento se faz com a reposição desses hormônios, e o desenvolvimento da criança ocorre de maneira normal.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista em Manaus!

Comentários
Dra. Aidalina

Posted by Dra. Aidalina