síndrome da sela vazia

Síndrome da sela vazia: o que é e como tratar

A sela túrcica é uma pequena fossa que abriga a glândula hipófise dentro do crânio. É tão pequena que mede pouco mais de 1 cm de diâmetro. A hipófise ou pituitária, por sua vez, é a glândula-mestra do corpo, secretando hormônios responsáveis pelo bom funcionamento de todas as outras glândulas do organismo. A síndrome da sela vazia ocorre quando a sela túrcica, em vez de abrigar corretamente a hipófise, está repleta de líquido cefalorraquidiano.

Com isso, a hipófise fica espremida, apertada na sela túrcica e não consegue secretar adequadamente os hormônios necessários a outras glândulas do corpo, cada qual, por sua vez, responsável pelo funcionamento de um órgão ou sistema.

Quais os impactos disso no corpo?

Quando alguém tem o diagnóstico de síndrome da sela vazia, significa que a falta da produção adequada de alguns hormônios da hipófise acaba comprometendo o funcionamento de glândulas como tireoide, ovários, testículos, a produção de hormônio do crescimento e da prolactina necessária para a lactação, por exemplo.  

Quando esse problema se torna mais comum?

Geralmente, é mais comum em casos em que os pacientes têm algum tumor na hipófise e fazem radioterapia como tratamento, ou ainda, em pessoas que tenham passado por cirurgia para a retirada parcial da hipófise em decorrência de qualquer tumor.

Contudo, existem também os casos em que a síndrome acomete crianças até mesmo recém-nascidas, em virtude da compressão da hipófise provocada pelo líquido cefalorraquidiano.

Alguns dos sintomas bem comuns e que podem surgir de repente são o excesso de cansaço muitas vezes ao longo do dia, a perda da libido, a dificuldade para enxergar, que se torna mais frequente, e uma dor de cabeça mais constante.

No que tange à sexualidade, nos homens,  essa doença pode provocar disfunção erétil e, nas mulheres, certa irregularidade no ciclo menstrual.

Vale lembrar, contudo, que tais sintomas são muito vagos e raros, muitas vezes não tendo qualquer ligação com a síndrome da sela vazia.  A única certeza partirá do exame de ressonância magnética ou de uma tomografia computadorizada, os quais o médico poderá solicitar para aumentar a certeza sobre o caso.

E qual o tratamento para a síndrome da sela vazia?

Para proceder com o tratamento mais adequado para esta síndrome, a orientação parte de um médico endocrinologista sempre que o paciente apresentar sintomas de redução de hormônios essenciais que afetem, por exemplo, a tireoide ou os testículos. Nessas circunstâncias, o tratamento implicará em reposição hormonal a fim de equilibrar as funções de outras glândulas no corpo. Onde houver qualquer incidência de tumor na hipófise, a cirurgia será o procedimento mais adequado, a fim de restabelecer o funcionamento tanto dessa como de outras glândulas. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista em Manaus!

Comentários
Dra. Aidalina

Posted by Dra. Aidalina