A osteoporose é uma doença metabólica do osso. Sua principal característica é a redução da massa óssea levando a deterioração gradual da microarquitetura dos ossos. Isso aumenta a sua fragilidade estrutural com  consequente aumento do risco de fraturas. Os principais fatores que influenciam no desenvolvimento de osteoporose incluem a baixa absorção mineral óssea, problemas metabólicos, desequilíbrios endócrinos, alterações gastrointestinais, disfunções no tecido conjuntivo e, até mesmo, efeito colateral de medicamentos. Vale destacar que a maior incidência ocorre em pessoas a partir dos 50 anos de idade. E o grupo mais afetado são as mulheres na pós-menopausa. É importante lembrar que a osteoporose pode ser reversível. Há tratamento adequado para melhorar a qualidade de vida e, assim, reduzir as chances de fraturas. Sabe quais são as recomendações mais importantes para quem tem osteoporose? Convido você a ler o texto completo e saiba quais medidas adotar para controlar essa doença e evitar maiores complicações.

Como prevenir e tratar a osteoporose

Cuide da alimentação

Uma boa maneira de evitar a osteoporose ou impedir seu agravamento, quando ela já está instalada, é alimentação adequada. Nesse sentido, é fundamental apostar em uma dieta com proteína de alto valor biológico, além de rica em minerais. Os minerais envolvidos nesse  metabolismo são cálcio, ferro, magnésio e fósforo. Além disso, é fundamental consumir na alimentação diária, alimentos fontes de vitamina D, vitamina K, assim como vitamina C. Em muitos casos, para atingir o nível adequado de aporte proteico, é importante usar paralelamente com a alimentação, os aminoácidos essenciais exógenos. isso é importante para a formação do colágeno. O médico saberá adequar a dosagem para cada caso. Portanto, com o objetivo de fortalecer os ossos, vale a pensa incluir no cardápio alimentos como frutas, legumes, verduras, frango, peixes, grãos, sementes e castanhas.

Transforme a vitamina D em sua aliada

Além dos minerais, a vitamina D em níveis adequados é essencial para que o metabolismo ósseo funcione corretamente. A deficiência de vitamina D desencadeia hiperparatireoidismo secundário, osteomalácia e aumento da reabsorção óssea. Esse quadro favorece a perda de massa óssea e, consequentemente, desencadeia a  osteoporose. Para completar, a hipovitaminose D gera fraqueza muscular, o que eleva o risco de quedas e de fraturas ósseas. Sendo assim, uma das principais recomendações para quem apresenta baixa densidade óssea consiste justamente em manter a quantidade adequada de vitamina D no organismo. A principal maneira de conseguir isso é ativando a vitamina D produzida no organismo com exposição ao sol. A pele humana tem um composto que atua como um precursor da vitamina D. Esse composto é chamado 7-dehidrocolesterol. Seu médico vai orientar qual é a melhor hora e tempo de exposição solar de acordo com a cor da sua pele. Outra maneira de fazer isso é através da alimentação, por meio do consumo de leveduras e plantas. Pode ser preciso fazer a suplementação de vitamina D para atingir os níveis ideais, porém, o uso de suplementos deve ser orientado pelo médico. Jamais faça por conta própria!

Pratique exercícios físicos

Ao contrário do que muitos pensam, os exercícios físicos não são proibidos para quem tem osteoporose. Prática como o levantamento de peso, por exemplo, ajuda a prevenir a perda óssea, além de fortalecer a musculatura e os ossos que já estão fracos. Para aumentar a segurança durante os treinos e reduzir o risco de fraturas, é recomendável contar com o suporte de um preparador físico. Além disso, deve-se respeitar os limites do próprio corpo. O melhor mesmo é praticar exercícios diários para prevenir a osteoporose.  Quer saber mais sobre osteoporose? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista em Manaus!