Provavelmente, você já ouviu falar em osteoporose, certo? Esta é uma doença caracterizada pela acentuada perda de massa óssea, que ocorre ao longo do processo de envelhecimento. Nesta condição, reduz a absorção de cálcio e outros sais minerais importantes para o metabolismo ósseo.

A perda óssea, por menor que seja, pode provocar sérios danos para a saúde ao longo do tempo. Por exemplo, uma perda de 10% é capaz de dobrar o risco de fraturas vertebrais. Além de quase triplicar o risco de fraturas no quadril. Vale acrescentar ainda que a osteoporose chega a causar aproximadamente 9 milhões de fraturas no mundo a cada ano.

No Brasil, mais de 10 milhões de brasileiros têm a doença, sendo a maior incidência entre mulheres. De cada 4 diagnósticos, 3 correspondem a pacientes do sexo feminino. Quer saber por que isso acontece? Venha descobrir por que elas sofrem mais com a osteoporose do que os homens.

A perda óssea em mulheres começa mais cedo

Os desequilíbrios ósseos em mulheres começam aos 35 anos de idade, enquanto o esqueleto dos homens se mantém intacto até os quarenta anos. As oscilações hormonais femininas, especialmente quando há uma baixa produção de estrogênio, fazem com que as mulheres sejam mais propensas ao desgaste ósseo mais cedo. Já nos homens, a testosterona barra esse desgaste.

A menopausa adianta a perda óssea nas mulheres

O estrogênio é um hormônio importantíssimo na fixação do cálcio nos ossos. Em mulheres, os níveis de estrogênio caem drasticamente no climatério e se acentuam na menopausa, acelerando assim a perda óssea. O processo é bem diferente nos homens, já que os níveis de testosterona caem gradualmente e após os 60 anos.

As fraturas ocorrem com mais frequência entre as
mulheres com osteoporose

Primordialmente, as fraturas decorrentes da osteoporose acontecem mais com as mulheres, inclusive com pacientes antes dos 40 anos de idade. Em contrapartida, as fraturas osteoporóticas  em homens costumam ocorrer depois dos 70 anos, apesar do risco já existir a partir dos 50.

A osteoporose é responsável por muitas
internações de pacientes femininos

Entre as mulheres acima dos 45 anos, a osteoporose é responsável por mais internações do que outras enfermidades, como por exemplo, infarto, câncer de mama e diabetes. Cumpre salientar que essa doença pode desencadear quadros graves, como fraturas no
fêmur, uma complicação limitante, que pode afetar fortemente a musculatura dos membros e deixar a paciente acamada por muito tempo.

Como as mulheres devem prevenir a osteoporose?

Diante das maiores chances de sofrer perda óssea, as mulheres devem redobrar o cuidado em relação à saúde dos ossos. Nesse sentido, é importante evitar hábitos nocivos como o tabagismo, uma vez que o cigarro é capaz de destruir células formadoras do osso. Outro hábito muito nocivo aos ossos que acelera a osteoporose é tomar refrigerante todo dia. Ele tem excesso de fósforo, que reduz o cálcio no osso. Tire isso da sua vida para ter ossos fortes.

Além disso, aposte na ingestão adequada de cálcio, vitamina D e vitamina K2, prática regular de exercícios, acompanhamento endócrino para manter os hormônios em equilíbrio, além
da  exposição diária ao sol no horário adequado.

Quer saber mais sobre osteoporose? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como  endocrinologista em Manaus!