O hirsutismo é uma condição que afeta cerca de 5 a 10% da população feminina. Além de todo o prejuízo emocional que traz para as mulheres, o quadro costuma estar associado a alguma outra doença que pode ser grave.

Você já ouviu falar em hirsutismo? Sabe como é causado ou conhece os sintomas? Então, continue a leitura. A seguir, explicaremos tudo sobre o assunto.

O que é hirsutismo?

Trata-se de uma doença que se caracteriza pelo crescimento excessivo de pelos grossos e negros em mulheres, principalmente em regiões que são mais comuns aos homens, tais como, face, ombros, abdômen e coxas.

Ainda, o aumento na quantidade de pelos está relacionado com o equilíbrio entre os hormônios tipicamente masculinos (androgênios) e femininos (estrogênios). O hirsutismo costuma ocorrer em razão do nível elevado desses androgênios, pelo aumento na sua produção pelas glândulas adrenais e pelos ovários.

Embora seja uma condição menos frequente, tende a afetar as mulheres durante os anos férteis ou após a menopausa, estando associado à irregularidade menstrual, alterações hormonais, infertilidade e acne.

Quais são as possíveis causas?

Dentre as principais causas do crescimento anormal de pelos em mulheres, está a síndrome do ovário policístico, um distúrbio endocrinológico que eleva a produção dos hormônios sexuais masculinos, além de formar diversos microcistos no ovário e provocar diversos transtornos. Ademais, o hirsutismo pode ser causado pelos seguintes fatores:

Quais os sintomas?

O sintoma mais característico de hirsutismo é o crescimento de pelos no queixo, buço, abdômen inferior, ao redor dos mamilos, entre as mamas, glúteos e nas coxas. No entanto, nos quadro mais graves de hiperandrogenismo, pode ocorrer um processo de virilização.

Assim, a mulher pode apresentar um aumento da massa muscular, perda de cabelos, acne, infertilidade, voz mais grossa, diminuição no tamanho dos seios, aumento do clitóris e distúrbios menstruais.

Existe tratamento para hirsutismo?

O tratamento tem por objetivo normalizar o excesso de androgênios, quando esse aumento é comprovado. E ajustar o desbalanço de hormônios sexuais com predomínio dos androgênios. Quando a causa não é conhecida, seu médico pode prescrever o uso da pílula anticoncepcional e observar.

Ainda, as pacientes podem recorrer a tratamentos estéticos para eliminar os pelos de forma definitiva. Além disso, o tratamento também consiste na redução do peso corporal, pois o tecido adiposo em excesso contribui para a sintetização dos hormônios e para a resistência à insulina.

Apesar de não ser uma condição severa, o hirsutismo traz grande incômodo e desconforto as mulheres. Porém, é um quadro de fácil tratamento, sem necessidade de cirurgias, nem de procedimentos de alta complexidade.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista em Manaus!